Hipertensão em idosos: cuidados que você precisa tomar

hipertensão em idosos

A hipertensão em idosos é algo comum. Estudos indicam que cerca de 60 a 85% dos idosos com idade acima de 65 anos apresentam pressão alta. Mas ser um problema comum, não significa que não seja sério. A hipertensão em idosos reduz a sobrevida desses pacientes e, quando não tratada de forma correta, traz inúmeros problemas.

Dessa forma, nada melhor do que saber direitinho quais os cuidados os idosos que sofrem de hipertensão precisam tomar e para isso, confira este nosso novo artigo. 

Boa leitura!

A hipertensão em idosos

A hipertensão arterial, ou pressão alta, é uma doença crônica caracterizada pelos elevados níveis da pressão sanguínea nas artérias. 

Ela ocorre quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9) e assim, o coração precisa fazer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído de forma correta em todas as partes do corpo. 

A hipertensão pode atingir homens e mulheres de qualquer faixa etária. No entanto, a incidência aumenta com a idade. Cerca de 50% dos homens e mulheres acima dos 50 anos apresentam hipertensão. Já aos 60 anos, essa porcentagem sobe para 60% e, daí em diante, não para de crescer. 

Dessa forma, não seria exagero afirmar que a hipertensão em idosos é tão comum que, após certa idade, é praticamente normal ter pressão alta. 

Mas por que os idosos sofrem com a hipertensão? Pois bem, são essas as causas principais

  • Com o passar dos anos, depósitos de substâncias como cálcio se acumulam nos vasos sanguíneos e vão fazendo com que esses fiquem enrijecidos e aumente a pressão do sangue no interior;
  • Os rins, diante de qualquer motivo que leve menos sangue até eles, passam a liberar substâncias que acabam retendo mais sal e água, o que colabora com o aumento da pressão;
  • No caso das mulheres, a partir da menopausa, elas estão mais sujeitas a doenças cardiovasculares de modo geral e, mais especificamente, à hipertensão. Isso acontece porque a baixa liberação de estrógeno interfere negativamente no mecanismo responsável pela dilatação e redução dos vasos sanguíneos. 

A pressão alta pode trazer complicações ao funcionamento do coração, cérebro e rins. Segundo estudos, de 60% a 65% dos idosos que têm infarto são hipertensos, e 70% dos idosos que sofrem derrame também. 

Como evitar problemas com a hipertensão em idosos 

A hipertensão nem sempre apresenta sintomas e muitas vezes é uma doença silenciosa. Muitos idosos só descobrem a hipertensão em consultas de rotina, quando se mede a pressão e ela se apresenta muito alta.

No entanto, seus sintomas mais comuns são:

  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Zumbido no ouvido;
  • Sangramento nasal.

Mas atenção: é raro a hipertensão em idosos aparecer de uma hora para outra. Ela costuma ir aumentando aos poucos, por volta dos 40 ou 50 anos, mas o problema só é diagnosticado mais tarde. 

Uma vez diagnosticada a hipertensão, é recomendado o uso de medicamentos, mas também mudanças no estilo de vida, com adoção de hábitos mais saudáveis, como: 

  • Manter o peso sob controle;
  • Reduzir do consumo de sal; 
  • Prática de regular de atividade física;
  • Parar de fumar;
  • Moderar o consumo de álcool;
  • Evitar alimentos gordurosos;
  • Controlar o diabetes;
  • Visitar o médico regularmente para exames de rotina;
  • Diminuir o estresse, levando uma vida mais leve e despreocupada, bem como aproveitando melhor os momentos de lazer.

Por fim, é importante verificar a pressão arterial com frequência, o que pode ser feito facilmente com um aparelho de pressão digital que você encontra na Maconequi. Temos uma enorme variedade de aparelhos de pressão e, com certeza, você encontrará um perfeito para você.

Ah, mas você não sabe qual aparelho escolher? Converse com seu médico, leia nosso artigo Como escolher o melhor aparelho de pressão digital e faça a escolha certa. 

Aqui você encontra artigos sobre hipertensão, além de indicações dos melhores produtos para melhorar a sua qualidade de vida e também dicas para prevenção desta e outras patologias relacionadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *