Dieta para hipertenso: quais alimentos devo evitar?

dieta para hipertensos

Sabendo que a alimentação de qualidade é a base para uma vida mais saudável, precisamos falar sobre a dieta para hipertenso. Por que ela é tão importante para o alívio dos sintomas da pressão alta?

Por ser um dos fatores de risco tanto para o AVC quanto para o infarto, a hipertensão deve seguir um rígido controle. Desse modo, mesmo que se trate de uma doença que não tem cura, com a adoção de hábitos de vida saudáveis, é possível manter a estabilidade da pressão.

Quer saber em que consiste a dieta para hipertensos e por qual motivo colocá-la em prática hoje mesmo?

 Então, leia com atenção esse post!

Quais alimentos devem ser evitados por quem tem hipertensão arterial

Não só para os hipertensos, mas para todas as pessoas, o uso excessivo de sal é extremamente nocivo para a saúde.

O principal problema causado pelo sal é a retenção de líquido no corpo, que consequentemente aumenta o volume de sangue que fica circulando no corpo.

Sendo assim, pelo fato do calibre da veia continuar do mesmo tamanho, a pressão arterial sobe. Logo, o uso moderado desse ingrediente é indicado.

Porém, não é apenas o sal que pode ser considerado o vilão da dieta para hipertensos, como também os alimentos ricos em açúcar e os produtos industrializados.

Só para exemplificar, veja alguns alimentos que devem ser evitados:

  • Produtos industrializados: principalmente os que são ricos em açúcar e glutamato monossódico, que é uma espécie de sal;
  • Salgadinhos: batata chips, castanha de caju salgada, amendoim;
  • Produtos enlatados: azeitona, milho, ervilha, palmito;
  • Bebidas: alcoólica, sucos industrializados e refrigerantes.
  • Alimentos que contenham farinha branca: bolacha, macarrão e pão branco;
  • Alimentos ricos em gordura saturada: carnes vermelhas gordas, bacon, salsicha e linguiça;
  • Produtos com muito sódio: cubos de caldo de carne, sopas em pó e comida pronta congelada.

Como deve ser a nutrição alimentar do paciente hipertenso?

O grande vilão para os brasileiros é o sal, que é utilizado de forma desmedida durante as refeições, ultrapassando muito a quantidade mínima liberada.

Para se ter uma ideia, enquanto o valor indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 5 gramas por dia, consumimos em média 12 gramas, mais que o dobro!

Em outras palavras, se o consumo excessivo de sal não é recomendável para quem quer que seja, para quem tem problema de hipertensão, pode ser fatal.

Uma dieta para hipertenso deve ser considerada, não só para redução do sal, como também:

  • Uso de alimentos in natura ou menos processados, tais como: feijão, grão de bico, carne magra, nozes, frutas, hortaliças e sementes;
  • Temperos naturais: cebola, alho, orégano, salsinha, coentro;
  • Bebidas: água, sucos naturais e chás;
  • Gorduras: azeite de oliva, óleos de abacate e de coco.

Essas recomendações, bem como suas restrições, são descritas pela dieta DASH, da qual falaremos agora.

Por que a dieta DASH é a mais recomendável para os hipertenso?

A dieta DASH, “Abordagem Dietética para Frear a Hipertensão”, refere-se ao resultado de um estudo americano realizado na década de 90, que buscava ajudar a descobrir uma forma eficiente para a redução da pressão arterial.

Outros benefícios que podem ser conquistados com a DASH é a perda de peso e controle da diabetes. Para que a eficácia da dieta DASH possa ser comprovada, algumas orientações devem ser seguidas:

  • Limitar o consumo de carnes vermelhas para 500 gramas por semana;
  • Dê preferência aos laticínios com pouca gordura, que contém boas quantidades de cálcio e de proteínas, substâncias que ajudam a diminuir a pressão sanguínea;
  • Reduza o consumo de ovos para 4 na semana para a diminuição do colesterol;
  • Opte sempre pelos grãos integrais que são ricos em fibras, que auxiliam a absorção do colesterol, triglicerídeos e glicose, evitando-se altos níveis de liberação de insulina;
  • Óleos vegetais e oleaginosas: ricos em gorduras insaturadas, melhoram a saúde do coração;
  • O consumo dos vegetais não deve ser restrito apenas como acompanhamentos do almoço ou jantar, pelo contrário, podem o ponto alto do prato principal ou como snacks da tarde.

Embora a dieta DASH fosse seguida apenas por hipertensos, hoje ela é a principal opção de quem deseja minimizar os riscos de doenças crônicas e ter uma vida mais saudável.

A sua eficácia foi comprovada por estudos, que concluíram:

  • Redução de 80% da taxa de mortalidade em geral;
  • Redução de 45% de chance de ter qualquer tipo de câncer;
  • Redução de 62% do risco de possuir uma doença cardiovascular.

Não esqueça de consultar um nutricionista!

Enfim, para que problemas decorrentes da hipertensão arterial sejam evitados, uma boa dieta para hipertensos deve ser seguida.

Todavia, a avaliação com um nutricionista é indispensável, já que ele limitará quais as quantidades das porções a serem consumidas.

Além de fazer uma avalição prévia das condições clínicas de cada paciente, permitindo um atendimento personalizado e, portanto, mais eficaz.

Lembrando ainda que, praticar atividades físicas e fazer o monitoramento da pressão diariamente vão proporcionar a você maior qualidade de vida e ainda evitar problemas mais sérios.

Para fazer o monitoramento em casa, existem aparelhos de qualidade na Maconequi que você pode adquirir acessando hoje mesmo o site.

Aqui você encontra artigos sobre hipertensão, além de indicações dos melhores produtos para melhorar a sua qualidade de vida e também dicas para prevenção desta e outras patologias relacionadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *